Desde que não estrábica, a libélula tem uma visão de duas vezes 360º. Isto é, 360º de ângulo horizontal que cruza com 360º de ângulo vertical. Uma visão esférica, portanto. Uma impressionante visão esférica que utiliza perto de 30mil facetas de captação de imagem. Este conhecimento, que poderá parecer apenas importante para o entomologista, interessa sobremaneira ao filósofo. Bizarra, bizarríssima afirmação, pensará o atento escutador... Procedamos, porém, com calma e método. Isto porque qualquer investigação científica que não contemple calma e método é, por ultraconhecida antiga regra, votada ao mais negro e doloroso fracasso. Acelerados das modernices, a bom & útil tempo, precavidos se tornem! Na milenar sabedoria chinesa, dos tempos dos pais dos avós de Confúcio – na pureza da tradição oral, que não esmorece por escrita esborratada ou tinta comida pelo sol - circulava já o conhecimento de que a Verdade é como o olho de mil facetas da mosca. E por aqui ficaríamos com tal máxima de Filosofia Natural, não fora a Entomologia vir dizer-nos que a libélula, alimentando-se vorazmente de moscas, tendo os olhos com maior volume e dois pares de asas que lhe proporcionam um voo mais estável e coordenado, nos permitir afirmar que a Verdade comparada com o seu olho, apontar – com segurança – para uma verdade que, com naturalidade, aceitaremos como mais verdadeira. Esta Verdade+Verdadeira é, entretanto, confirmada outra vez pela Entomologia. Quando esta nos informa que a duração de vida da libélula, podendo estender-se até 5 anos, deixa a pobre da mosca a anos luz de distância duma autenticação fidedigna da verdade, medida não só pelas poucas mil facetas dos seus olhos, como pelos curtos 25 dias da sua vida sempre agitada. E pronto, caro escutador: faça deste conhecimento científico-simbólico o bom uso que muito bem entender. Marquês de Rubbatto / Collares, Maio2017 EDUARDO SÉRGIO O OLHO DA LIBÉLULA
FERNANDO MORAIS GOMES MISSA DAS DEZ EM S.MARTINHO EDUARDO SÉRGIO O OLHO DA LIBÉLULA FILOMENA MARONA BEJA A SENHORA INFANTA EM SINTRA GALOPIM DE CARVALHO PEGADAS NA PRAIA GRANDE DO RODÍZIO

Revista cultural de Sintra

RAQUEL OCHOA BOM DIA OU GOOD MORNING? GONÇALO MOLEIRO "A ARQUITECTURA E O MODO COMO QUEREMOS VIVER" JOÃO RODIL CHRISTOPHER ISHERWOOD E A GERAÇÃO AUDEN EM SINTRA MIGUEL REAL BELÍSSIMO RETRACTO FICCIONAL DO CONVENTO DOS CAPUCHOS

Copyright © 2017 João Lourenço

 Desde que não estrábica, a libélula tem uma visão de duas vezes 360º. Isto é, 360º de ângulo horizontal que cruza com 360º de ângulo vertical. Uma visão esférica, portanto. Uma impressionante visão esférica que utiliza perto de 30mil facetas de captação de imagem. Este conhecimento, que poderá parecer apenas importante para o entomologista, interessa sobremaneira ao filósofo. Bizarra, bizarríssima afirmação, pensará o atento escutador... Procedamos, porém, com calma e método. Isto porque qualquer investigação científica que não contemple calma e método é, por ultraconhecida antiga regra, votada ao mais negro e doloroso fracasso. Acelerados das modernices, a bom & útil tempo, precavidos se tornem! Na milenar sabedoria chinesa, dos tempos dos pais dos avós de Confúcio – na pureza da tradição oral, que não esmorece por escrita esborratada ou tinta comida pelo sol - circulava já o conhecimento de que a Verdade é como o olho de mil facetas da mosca. E por aqui ficaríamos com tal máxima de Filosofia Natural, não fora a Entomologia vir dizer-nos que a libélula, alimentando-se vorazmente de moscas, tendo os olhos com maior volume e dois pares de asas que lhe proporcionam um voo mais estável e coordenado, nos permitir afirmar que a Verdade comparada com o seu olho, apontar – com segurança – para uma verdade que, com naturalidade, aceitaremos como mais verdadeira. Esta Verdade+Verdadeira é, entretanto, confirmada outra vez pela Entomologia. Quando esta nos informa que a duração de vida da libélula, podendo estender-se até 5 anos, deixa a pobre da mosca a anos luz de distância duma autenticação fidedigna da verdade, medida não só pelas poucas mil facetas dos seus olhos, como pelos curtos 25 dias da sua vida sempre agitada. E pronto, caro escutador: faça deste conhecimento científico-simbólico o bom uso que muito bem entender. Marquês de Rubbatto / Collares, Maio2017 EDUARDO SÉRGIO O OLHO DA LIBÉLULA
FERNANDO MORAIS GOMES MISSA DAS DEZ EM S.MARTINHO EDUARDO SÉRGIO O OLHO DA LIBÉLULA FILOMENA MARONA BEJA A SENHORA INFANTA EM SINTRA GALOPIM DE CARVALHO PEGADAS NA PRAIA GRANDE DO RODÍZIO
RAQUEL OCHOA BOM DIA OU GOOD MORNING? GONÇALO MOLEIRO "A ARQUITECTURA E O MODO COMO QUEREMOS VIVER" JOÃO RODIL CHRISTOPHER ISHERWOOD E A GERAÇÃO AUDEN EM SINTRA MIGUEL REAL BELÍSSIMO RETRACTO FICCIONAL DO CONVENTO DOS CAPUCHOS
 Desde que não estrábica, a libélula tem uma visão de duas vezes 360º. Isto é, 360º de ângulo horizontal que cruza com 360º de ângulo vertical. Uma visão esférica, portanto. Uma impressionante visão esférica que utiliza perto de 30mil facetas de captação de imagem. Este conhecimento, que poderá parecer apenas importante para o entomologista, interessa sobremaneira ao filósofo. Bizarra, bizarríssima afirmação, pensará o atento escutador... Procedamos, porém, com calma e método. Isto porque qualquer investigação científica que não contemple calma e método é, por ultraconhecida antiga regra, votada ao mais negro e doloroso fracasso. Acelerados das modernices, a bom & útil tempo, precavidos se tornem! Na milenar sabedoria chinesa, dos tempos dos pais dos avós de Confúcio – na pureza da tradição oral, que não esmorece por escrita esborratada ou tinta comida pelo sol - circulava já o conhecimento de que a Verdade é como o olho de mil facetas da mosca. E por aqui ficaríamos com tal máxima de Filosofia Natural, não fora a Entomologia vir dizer-nos que a libélula, alimentando-se vorazmente de moscas, tendo os olhos com maior volume e dois pares de asas que lhe proporcionam um voo mais estável e coordenado, nos permitir afirmar que a Verdade comparada com o seu olho, apontar – com segurança – para uma verdade que, com naturalidade, aceitaremos como mais verdadeira. Esta Verdade+Verdadeira é, entretanto, confirmada outra vez pela Entomologia. Quando esta nos informa que a duração de vida da libélula, podendo estender-se até 5 anos, deixa a pobre da mosca a anos luz de distância duma autenticação fidedigna da verdade, medida não só pelas poucas mil facetas dos seus olhos, como pelos curtos 25 dias da sua vida sempre agitada. E pronto, caro escutador: faça deste conhecimento científico-simbólico o bom uso que muito bem entender. Marquês de Rubbatto / Collares, Maio2017 EDUARDO SÉRGIO O OLHO DA LIBÉLULA
 Desde que não estrábica, a libélula tem uma visão de duas vezes 360º. Isto é, 360º de ângulo horizontal que cruza com 360º de ângulo vertical. Uma visão esférica, portanto. Uma impressionante visão esférica que utiliza perto de 30mil facetas de captação de imagem. Este conhecimento, que poderá parecer apenas importante para o entomologista, interessa sobremaneira ao filósofo. Bizarra, bizarríssima afirmação, pensará o atento escutador... Procedamos, porém, com calma e método. Isto porque qualquer investigação científica que não contemple calma e método é, por ultraconhecida antiga regra, votada ao mais negro e doloroso fracasso. Acelerados das modernices, a bom & útil tempo, precavidos se tornem! Na milenar sabedoria chinesa, dos tempos dos pais dos avós de Confúcio – na pureza da tradição oral, que não esmorece por escrita esborratada ou tinta comida pelo sol - circulava já o conhecimento de que a Verdade é como o olho de mil facetas da mosca. E por aqui ficaríamos com tal máxima de Filosofia Natural, não fora a Entomologia vir dizer-nos que a libélula, alimentando-se vorazmente de moscas, tendo os olhos com maior volume e dois pares de asas que lhe proporcionam um voo mais estável e coordenado, nos permitir afirmar que a Verdade comparada com o seu olho, apontar – com segurança – para uma verdade que, com naturalidade, aceitaremos como mais verdadeira. Esta Verdade+Verdadeira é, entretanto, confirmada outra vez pela Entomologia. Quando esta nos informa que a duração de vida da libélula, podendo estender-se até 5 anos, deixa a pobre da mosca a anos luz de distância duma autenticação fidedigna da verdade, medida não só pelas poucas mil facetas dos seus olhos, como pelos curtos 25 dias da sua vida sempre agitada. E pronto, caro escutador: faça deste conhecimento científico-simbólico o bom uso que muito bem entender. Marquês de Rubbatto / Collares, Maio2017 EDUARDO SÉRGIO O OLHO DA LIBÉLULA
 Desde que não estrábica, a libélula tem uma visão de duas vezes 360º. Isto é, 360º de ângulo horizontal que cruza com 360º de ângulo vertical. Uma visão esférica, portanto. Uma impressionante visão esférica que utiliza perto de 30mil facetas de captação de imagem. Este conhecimento, que poderá parecer apenas importante para o entomologista, interessa sobremaneira ao filósofo. Bizarra, bizarríssima afirmação, pensará o atento escutador... Procedamos, porém, com calma e método. Isto porque qualquer investigação científica que não contemple calma e método é, por ultraconhecida antiga regra, votada ao mais negro e doloroso fracasso. Acelerados das modernices, a bom & útil tempo, precavidos se tornem! Na milenar sabedoria chinesa, dos tempos dos pais dos avós de Confúcio – na pureza da tradição oral, que não esmorece por escrita esborratada ou tinta comida pelo sol - circulava já o conhecimento de que a Verdade é como o olho de mil facetas da mosca. E por aqui ficaríamos com tal máxima de Filosofia Natural, não fora a Entomologia vir dizer-nos que a libélula, alimentando-se vorazmente de moscas, tendo os olhos com maior volume e dois pares de asas que lhe proporcionam um voo mais estável e coordenado, nos permitir afirmar que a Verdade comparada com o seu olho, apontar – com segurança – para uma verdade que, com naturalidade, aceitaremos como mais verdadeira. Esta Verdade+Verdadeira é, entretanto, confirmada outra vez pela Entomologia. Quando esta nos informa que a duração de vida da libélula, podendo estender-se até 5 anos, deixa a pobre da mosca a anos luz de distância duma autenticação fidedigna da verdade, medida não só pelas poucas mil facetas dos seus olhos, como pelos curtos 25 dias da sua vida sempre agitada. E pronto, caro escutador: faça deste conhecimento científico-simbólico o bom uso que muito bem entender. Marquês de Rubbatto / Collares, Maio2017 EDUARDO SÉRGIO O OLHO DA LIBÉLULA
EDUARDO SÉRGIO O OLHO DA LIBÉLULA  Desde que não estrábica, a libélula tem uma visão de duas vezes 360º. Isto é, 360º de ângulo horizontal que cruza com 360º de ângulo vertical. Uma visão esférica, portanto. Uma impressionante visão esférica que utiliza perto de 30mil facetas de captação de imagem. Este conhecimento, que poderá parecer apenas importante para o entomologista, interessa sobremaneira ao filósofo. Bizarra, bizarríssima afirmação, pensará o atento escutador... Procedamos, porém, com calma e método. Isto porque qualquer investigação científica que não contemple calma e método é, por ultraconhecida antiga regra, votada ao mais negro e doloroso fracasso. Acelerados das modernices, a bom & útil tempo, precavidos se tornem! Na milenar sabedoria chinesa, dos tempos dos pais dos avós de Confúcio – na pureza da tradição oral, que não esmorece por escrita esborratada ou tinta comida pelo sol - circulava já o conhecimento de que a Verdade é como o olho de mil facetas da mosca. E por aqui ficaríamos com tal máxima de Filosofia Natural, não fora a Entomologia vir dizer-nos que a libélula, alimentando-se vorazmente de moscas, tendo os olhos com maior volume e dois pares de asas que lhe proporcionam um voo mais estável e coordenado, nos permitir afirmar que a Verdade comparada com o seu olho, apontar – com segurança – para uma verdade que, com naturalidade, aceitaremos como mais verdadeira. Esta Verdade+Verdadeira é, entretanto, confirmada outra vez pela Entomologia. Quando esta nos informa que a duração de vida da libélula, podendo estender-se até 5 anos, deixa a pobre da mosca a anos luz de distância duma autenticação fidedigna da verdade, medida não só pelas poucas mil facetas dos seus olhos, como pelos curtos 25 dias da sua vida sempre agitada. E pronto, caro escutador: faça deste conhecimento científico-simbólico o bom uso que muito bem entender. Marquês de Rubbatto / Collares, Maio2017