» «

Copyright © 2017 João Lourenço

EDUARDO SÉRGIO O OLHO DA LIBÉLULA FERNANDO MORAIS GOMES MISSA DAS DEZ EM S.MARTINHO FILOMENA MARONA BEJA A SENHORA INFANTA EM SINTRA RAQUEL OCHOA BOM DIA OU GOOD MORNING? GONÇALO MOLEIRO "A ARQUITECTURA E O MODO COMO QUEREMOS VIVER" JOÃO RODIL CHRISTOPHER ISHERWOOD E A GERAÇÃO AUDEN EM SINTRA MIGUEL REAL BELÍSSIMO RETRACTO FICCIONAL DO CONVENTO DOS CAPUCHOS GALOPIM DE CARVALHO PEGADAS NA PRAIA GRANDE DO RODÍZIO LUÍS FREITAS LIBERDADE TOTAL  ESCOLHA DA ÉPOCA O Caminho Francês pode ser realizado durante quase todo o ano, entretanto a melhor época para percorrer é entre Maio e Outubro, alertando-se aos interessados que Julho e a primeira quinzena de Agosto devem ser evitados dadas as altas temperaturas do verão. Nessa época você poderá encontrar os albergues lotados e, em geral, os preços mais altos. No oposto, e dado que em Espanha as mais baixas temperaturas se registam em Janeiro e Fevereiro estes são meses a evitar, tanto mais que em vários locais do percurso surgem fortes chuvadas e quedas de neve que podem bloquear a passagem dos peregrinos, com maior relevo para a região dos Pirenéus, o que pode tornar a peregrinação uma experiência perigosa. Leve em conta o tipo de clima que você se adapta melhor, sem esquecer que nas suas costas se encontra uma mochila e que em princípio vai percorrer uma longa distancia e isso pode deixar marcas físicas. Efectuando uma comparação entre as diversas estações, temos: a Primavera (Abril, Maio e Junho), temperatura amena, há flores (papoilas, rosas e girassóis), os campos estão verdes, mas é claro que também aparecem algumas chuvadas. Do outro lado temos o Outono (Setembro, Outubro e Novembro), período de seca. É mais tranquilo para caminhar pois a chuva tem um componente psicológico que é muito corrosivo para qualquer ânimo dos peregrinos, porém os campos ficam amarelos e há muitas regiões com seca. No Inverno (Dezembro, Janeiro, Fevereiro e Março) o caminho muitas vezes está fechado, por assim dizer, a maioria dos albergues municipais fecham e também alguns privados, especialmente em localidades onde haja mais do que um albergue. As autoridades tudo fazem para evitar que os peregrinos corram perigo de vida. No Verão (Julho e Agosto) são os meses com mais horas de sol e menos rigores meteorológicos, mas existem desvantagens significativas: o calor e os estudantes (também conhecidos por turiperegrinos). O calor no Caminho de Santiago é algo que não se esquece e que sempre dá muita conversa em qualquer reunião. Os estudantes são pessoas simpáticas e aventureiras, mas em geral o seu objectivo é turístico, diferente dos objectivos religiosos/ecológicos/culturais/místicos dos peregrinos em geral. Nesta época há grande fluxo de peregrinos e em consequência aumenta a dificuldade em questões de conseguir uma cama nos albergues, mesmo sabendo que em alguns casos os albergues são reforçados com espaços cedidos como pavilhões desportivos. Com as novas tecnologias, a cada dia que passa podemos sempre socorrer-nos da internet para saber que tempo vai fazer na região onde vamos caminhar no dia seguinte, isto de forma a preparar a roupa adequada e mesmo o tipo de alimentação a ter de reserva. Perante o que aqui vos deixei escrito, não se esqueça: a decisão é sua! Nota: por curiosidade aqui estão as temperaturas médias nas diferentes épocas do ano: Inverno: temperatura máxima 16º C, mínima -4,5º C; Primavera: temperatura máxima 24º C, mínima 5º C; Verão: temperatura máxima 38º C, mínima 12º C; Outono: temperatura máxima 25º C, mínima 7º C. O QUE LEVAR É muito relativo informar o caminhante / peregrino o que deve ele levar, tal informação muitas vezes esbarra em problemas de cunho pessoal. Tenha em conta que há uma diferença entre aquilo que é o Caminho idealizado e aquele real e repleto de contratempos problemas físicos e outras coisas inesperadas. Tudo isto deve ser equacionado quando pensamos no equipamento a levar. Deve comprar equipamentos que existem nas lojas da especialidade e que são adequadas. Podem ser coisas caras? Correcto! Em certos casos sim, mas você não se vai arrepender depois. Deixo-lhe em seguida uma lista de artigos do que deve levar, mas atente que a mochila no seu todo deve levar em consideração a época do ano que vai fazer a caminhada. Evite excessos de carga!! Todo o equipamento referido pode ser reduzido na proporção do seu tempo de caminhada e na proporção do seu peso. Seja prudente. ROUPAS: Pouca roupa, não se esqueça do peso, a mesma deve acompanhar o clima predominante da época em que você decidiu caminhar/peregrinar. BERMUDA de tecido leve e cómodo para caminhada (uma ou duas dependendo da época da viagem); ROUPAS INTERIOR com elástico que não apertem demasiadamente (três peças); CAMISETAS DE MANGA CURTA, (três), na cor clara (não use branca), com as sucessivas lavagens, se for na cor branca pode apresentar sinais de uma má lavagem; CAMISETA DE MANGA COMPRIDA, (uma a duas – use pólos térmicos de preferência, são leves); CALÇA COMPRIDA de flanela, etc. (uma). Evite levar calça jeans, pois além de não ser confortável para caminhada, pesa muito e demora a secar; CALÇA COMPRIDA de material leve e lavável, táctil. Hoje em dia adopta-se o tipo de calça-bermuda, as referidas calça possuem um ziper acima do joelho o que permite transforma-la em bermuda rapidamente. MEIAS FINAS de algodão, sem costura, (três pares) para que você possa troca-las todos os dias: MEIAS GROSSAS, de algodão ou do tipo Coolmax, (três pares), fibras naturais são melhores que as sintéticas no que diz respeito à prevenção contra bolhas. Uma pratica usual em caminhadas de longa distância, é colocar duas meias em cada pé, reduzindo o atrito da pele com a bota. As meias finas de algodão usam-se em contacto com os pés e as grossas "atoalhadas" por cima, também deverão serem trocadas todos os dias; AGASALHO que pese pouco mas possa manter o corpo quente, principalmente durante a noite, nos lugares mais altos e frios; CHAPÉU, BONE, OU LENÇO para proteger-se do sol; LUVAS DE LÃ, para proteger as mãos no frio da manhã ou da noite e também proteger-se ao segurar o cajado; BANHO TOALHA DE BANHO pequena e com grande capacidade de absorção. Existem toalhas especiais para longas caminhadas que se adaptam a esta descrição. CHINELO de dedo para usar quando chegar no refúgio e no banho. MATERIAL PARA HIGIENE PESSOAL como escova de dentes, pasta de dente, sabonete, sabão para lavar roupa, (vestir roupas limpas ao terminar a jornada diária é tão agradável para o peregrino, quanto para aqueles que estão à sua volta), corta-unhas. Não esquecer de levar um rolo de papel higiénico, pode acontecer não encontrar no albergue e é muito útil para suas necessidades durante o Caminho. EQUIPAMENTOS E UTENSÍLIOS CANTIL, com capacidade de 1 litro, é um equipamento indispensável e de preferência de plástico. Existem cantis de alumínio, mas além de serem mais caros deixam um gosto ruim na água. O de plástico é mais leve e a água não adere gostos estranhos. Alguns peregrinos informaram terem substituído o mesmo por duas pequenas garrafas plásticas de 500 ml, mantendo uma dentro da mochila e a outra na pochete ou num local fácil de sacar. Para aqueles que transpiram demais, é aconselhável levar mais uma garrafa de plástico de 500 ml, nos trechos com fontes usa-se apenas a garrafa com água e as outras vazias no interior da mochila, nos trechos longos e com poucas fontes ou nenhuma, o peregrino manteria as garrafas cheias. SACO DE DORMIR, ou uma ESTEIRA - isolante térmico é usado para protecção contra frio e humidade se você dormir directamente no solo, no caso da não existência de camas nos albergues, ou então para fazer uma "siesta" durante o caminho, colocando-o sobre a relva em baixo de uma arvore. Para alguns é um equipamento opcional; ISQUEIRO; que pode ser eventualmente útil, mas cuidado, em vários trechos do Caminho existem campos e plantações de trigo onde um simples cigarro ou fogueira mal apagada pode causar enormes catástrofes; CANIVETE; Evite o ridículo de carregar aqueles canivetes Suíços com uma infinidade de laminas e apetrechos outros. O peregrino não precisa mais do que um canivete, com uma lamina que possa ser travada depois de aberta de forma a evitar algum acidente e mais uns dois acessórios - abridor de latas e um saca-rolhas. COLHER; uma que seja pequena, com a qual você possa comer qualquer coisa, desde arroz até iogurte, a mesma faz uma perfeita dobradinha com o canivete, dispensando completamente o garfo. LANTERNA; pequena, muito pequena mesmo; Quando a luz de seu quarto for apagada (as luzes apagam-se normalmente pelas 22h nos albergues públicos, e pelas 23h nos albergues privados) por algum peregrino, não é aconselhável acendê-la novamente. Quem apagou deve estar cansado e o descanso é sagrado no Caminho. Ao REGRESSAR de um passeio nocturno, aquela lanterna com pilhas do tipo palito, pode representar o único meio de você encontrar novamente a sua cama, ou no meio da noite uma necessidade de ir ao WC. ÓCULOS ESCUROS; que consideramos opcional mas aconselhável, pois você caminha na direcção do pôr do sol o que dificulta bastante a visão durante a tarde. SACOS PLÁSTICOS; para protecção da carga contra chuva e colocação do lixo; RELOGIO; prático e desportivo, mas grande parte dos caminhantes não usam relógio. POCHETE; para a colocação do dinheiro, passaporte, credencial e outras utilidades; MOLAS DE ROUPA, uns seis para colocar a roupa a secar, inclusive na própria mochila enquanto você for andando, o mesmo pode ser substituído por alfinete de segurança dos usados para fralda de bebés; CONCHA DE PEREGRINO; conhecida em Espanha como "Vieira", símbolo que identifica os peregrinos de todo o mundo. BLOCO DE APONTAMENTOS; esta é uma grande experiência em sua vida. Depois da viagem, a cada ano que passa fica mais emocionante ler e recordar o que foi anotado, não esquecer da caneta. MAQUINA FOTOGRÁFICA; de preferência leve, não se esquecer de levar chips ou rolos extras, pois poderá ter o desprazer de seu filme ter acabado, e você ficar sem poder tirar aquela foto que julgou importante. CAJADO; (ou os BASTÕES METÁLICOS) não é um elemento decorativo, ajuda a caminhar pelos terrenos irregulares, contribuem para manter o ritmo da caminhada. Nos bosques encontra-se com facilidade uma boa vara de carvalho ou pinho. Em Azqueta (Navarra), o popular Pablito oferece cajados de avelã gratuitamente. Actualmente, como é o meu caso, há peregrinos que usam dois bastões metálicos, parecidos com os usados para andar na neve; GUIA do caminho, se possível contendo a história do Caminho. PRIMEIROS SOCORROS Numa loja da especialidade ou uma qualquer farmácia pode adquirir um pequeno kit SOS onde se encontram as coisas básicas. Aspirinas, pomadas para feridas, compressas, band-aids, pensos de vários tamanhos, gaze e algodão, protector de lábios, etc. OBS: Com referência aos materiais a serem utilizados para a protecção dos pés contra a formação das bolhas, ou mesmo para colocar depois de se cuidar das mesmas, existe uma grande variedade, pessoalmente uso ou vaselina ou bálsamo chinês, ou ainda pomada nívea.
» «
 ESCOLHA DA ÉPOCA O Caminho Francês pode ser realizado durante quase todo o ano, entretanto a melhor época para percorrer é entre Maio e Outubro, alertando-se aos interessados que Julho e a primeira quinzena de Agosto devem ser evitados dadas as altas temperaturas do verão. Nessa época você poderá encontrar os albergues lotados e, em geral, os preços mais altos. No oposto, e dado que em Espanha as mais baixas temperaturas se registam em Janeiro e Fevereiro estes são meses a evitar, tanto mais que em vários locais do percurso surgem fortes chuvadas e quedas de neve que podem bloquear a passagem dos peregrinos, com maior relevo para a região dos Pirenéus, o que pode tornar a peregrinação uma experiência perigosa. Leve em conta o tipo de clima que você se adapta melhor, sem esquecer que nas suas costas se encontra uma mochila e que em princípio vai percorrer uma longa distancia e isso pode deixar marcas físicas. Efectuando uma comparação entre as diversas estações, temos: a Primavera (Abril, Maio e Junho), temperatura amena, há flores (papoilas, rosas e girassóis), os campos estão verdes, mas é claro que também aparecem algumas chuvadas. Do outro lado temos o Outono (Setembro, Outubro e Novembro), período de seca. É mais tranquilo para caminhar pois a chuva tem um componente psicológico que é muito corrosivo para qualquer ânimo dos peregrinos, porém os campos ficam amarelos e há muitas regiões com seca. No Inverno (Dezembro, Janeiro, Fevereiro e Março) o caminho muitas vezes está fechado, por assim dizer, a maioria dos albergues municipais fecham e também alguns privados, especialmente em localidades onde haja mais do que um albergue. As autoridades tudo fazem para evitar que os peregrinos corram perigo de vida. No Verão (Julho e Agosto) são os meses com mais horas de sol e menos rigores meteorológicos, mas existem desvantagens significativas: o calor e os estudantes (também conhecidos por turiperegrinos). O calor no Caminho de Santiago é algo que não se esquece e que sempre dá muita conversa em qualquer reunião. Os estudantes são pessoas simpáticas e aventureiras, mas em geral o seu objectivo é turístico, diferente dos objectivos religiosos/ecológicos/culturais/místicos dos peregrinos em geral. Nesta época há grande fluxo de peregrinos e em consequência aumenta a dificuldade em questões de conseguir uma cama nos albergues, mesmo sabendo que em alguns casos os albergues são reforçados com espaços cedidos como pavilhões desportivos. Com as novas tecnologias, a cada dia que passa podemos sempre socorrer-nos da internet para saber que tempo vai fazer na região onde vamos caminhar no dia seguinte, isto de forma a preparar a roupa adequada e mesmo o tipo de alimentação a ter de reserva. Perante o que aqui vos deixei escrito, não se esqueça: a decisão é sua! Nota: por curiosidade aqui estão as temperaturas médias nas diferentes épocas do ano: Inverno: temperatura máxima 16º C, mínima -4,5º C; Primavera: temperatura máxima 24º C, mínima 5º C; Verão: temperatura máxima 38º C, mínima 12º C; Outono: temperatura máxima 25º C, mínima 7º C. O QUE LEVAR É muito relativo informar o caminhante / peregrino o que deve ele levar, tal informação muitas vezes esbarra em problemas de cunho pessoal. Tenha em conta que há uma diferença entre aquilo que é o Caminho idealizado e aquele real e repleto de contratempos problemas físicos e outras coisas inesperadas. Tudo isto deve ser equacionado quando pensamos no equipamento a levar. Deve comprar equipamentos que existem nas lojas da especialidade e que são adequadas. Podem ser coisas caras? Correcto! Em certos casos sim, mas você não se vai arrepender depois. Deixo-lhe em seguida uma lista de artigos do que deve levar, mas atente que a mochila no seu todo deve levar em consideração a época do ano que vai fazer a caminhada. Evite excessos de carga!! Todo o equipamento referido pode ser reduzido na proporção do seu tempo de caminhada e na proporção do seu peso. Seja prudente. ROUPAS: Pouca roupa, não se esqueça do peso, a mesma deve acompanhar o clima predominante da época em que você decidiu caminhar/peregrinar. BERMUDA de tecido leve e cómodo para caminhada (uma ou duas dependendo da época da viagem); ROUPAS INTERIOR com elástico que não apertem demasiadamente (três peças); CAMISETAS DE MANGA CURTA, (três), na cor clara (não use branca), com as sucessivas lavagens, se for na cor branca pode apresentar sinais de uma má lavagem; CAMISETA DE MANGA COMPRIDA, (uma a duas – use pólos térmicos de preferência, são leves); CALÇA COMPRIDA de flanela, etc. (uma). Evite levar calça jeans, pois além de não ser confortável para caminhada, pesa muito e demora a secar; CALÇA COMPRIDA de material leve e lavável, táctil. Hoje em dia adopta-se o tipo de calça-bermuda, as referidas calça possuem um ziper acima do joelho o que permite transforma-la em bermuda rapidamente. MEIAS FINAS de algodão, sem costura, (três pares) para que você possa troca-las todos os dias: MEIAS GROSSAS, de algodão ou do tipo Coolmax, (três pares), fibras naturais são melhores que as sintéticas no que diz respeito à prevenção contra bolhas. Uma pratica usual em caminhadas de longa distância, é colocar duas meias em cada pé, reduzindo o atrito da pele com a bota. As meias finas de algodão usam-se em contacto com os pés e as grossas "atoalhadas" por cima, também deverão serem trocadas todos os dias; AGASALHO que pese pouco mas possa manter o corpo quente, principalmente durante a noite, nos lugares mais altos e frios; CHAPÉU, BONE, OU LENÇO para proteger-se do sol; LUVAS DE LÃ, para proteger as mãos no frio da manhã ou da noite e também proteger-se ao segurar o cajado; BANHO TOALHA DE BANHO pequena e com grande capacidade de absorção. Existem toalhas especiais para longas caminhadas que se adaptam a esta descrição. CHINELO de dedo para usar quando chegar no refúgio e no banho. MATERIAL PARA HIGIENE PESSOAL como escova de dentes, pasta de dente, sabonete, sabão para lavar roupa, (vestir roupas limpas ao terminar a jornada diária é tão agradável para o peregrino, quanto para aqueles que estão à sua volta), corta-unhas. Não esquecer de levar um rolo de papel higiénico, pode acontecer não encontrar no albergue e é muito útil para suas necessidades durante o Caminho. EQUIPAMENTOS E UTENSÍLIOS CANTIL, com capacidade de 1 litro, é um equipamento indispensável e de preferência de plástico. Existem cantis de alumínio, mas além de serem mais caros deixam um gosto ruim na água. O de plástico é mais leve e a água não adere gostos estranhos. Alguns peregrinos informaram terem substituído o mesmo por duas pequenas garrafas plásticas de 500 ml, mantendo uma dentro da mochila e a outra na pochete ou num local fácil de sacar. Para aqueles que transpiram demais, é aconselhável levar mais uma garrafa de plástico de 500 ml, nos trechos com fontes usa-se apenas a garrafa com água e as outras vazias no interior da mochila, nos trechos longos e com poucas fontes ou nenhuma, o peregrino manteria as garrafas cheias. SACO DE DORMIR, ou uma ESTEIRA - isolante térmico é usado para protecção contra frio e humidade se você dormir directamente no solo, no caso da não existência de camas nos albergues, ou então para fazer uma "siesta" durante o caminho, colocando-o sobre a relva em baixo de uma arvore. Para alguns é um equipamento opcional; ISQUEIRO; que pode ser eventualmente útil, mas cuidado, em vários trechos do Caminho existem campos e plantações de trigo onde um simples cigarro ou fogueira mal apagada pode causar enormes catástrofes; CANIVETE; Evite o ridículo de carregar aqueles canivetes Suíços com uma infinidade de laminas e apetrechos outros. O peregrino não precisa mais do que um canivete, com uma lamina que possa ser travada depois de aberta de forma a evitar algum acidente e mais uns dois acessórios - abridor de latas e um saca-rolhas. COLHER; uma que seja pequena, com a qual você possa comer qualquer coisa, desde arroz até iogurte, a mesma faz uma perfeita dobradinha com o canivete, dispensando completamente o garfo. LANTERNA; pequena, muito pequena mesmo; Quando a luz de seu quarto for apagada (as luzes apagam-se normalmente pelas 22h nos albergues públicos, e pelas 23h nos albergues privados) por algum peregrino, não é aconselhável acendê-la novamente. Quem apagou deve estar cansado e o descanso é sagrado no Caminho. Ao REGRESSAR de um passeio nocturno, aquela lanterna com pilhas do tipo palito, pode representar o único meio de você encontrar novamente a sua cama, ou no meio da noite uma necessidade de ir ao WC. ÓCULOS ESCUROS; que consideramos opcional mas aconselhável, pois você caminha na direcção do pôr do sol o que dificulta bastante a visão durante a tarde. SACOS PLÁSTICOS; para protecção da carga contra chuva e colocação do lixo; RELOGIO; prático e desportivo, mas grande parte dos caminhantes não usam relógio. POCHETE; para a colocação do dinheiro, passaporte, credencial e outras utilidades; MOLAS DE ROUPA, uns seis para colocar a roupa a secar, inclusive na própria mochila enquanto você for andando, o mesmo pode ser substituído por alfinete de segurança dos usados para fralda de bebés; CONCHA DE PEREGRINO; conhecida em Espanha como "Vieira", símbolo que identifica os peregrinos de todo o mundo. BLOCO DE APONTAMENTOS; esta é uma grande experiência em sua vida. Depois da viagem, a cada ano que passa fica mais emocionante ler e recordar o que foi anotado, não esquecer da caneta. MAQUINA FOTOGRÁFICA; de preferência leve, não se esquecer de levar chips ou rolos extras, pois poderá ter o desprazer de seu filme ter acabado, e você ficar sem poder tirar aquela foto que julgou importante. CAJADO; (ou os BASTÕES METÁLICOS) não é um elemento decorativo, ajuda a caminhar pelos terrenos irregulares, contribuem para manter o ritmo da caminhada. Nos bosques encontra-se com facilidade uma boa vara de carvalho ou pinho. Em Azqueta (Navarra), o popular Pablito oferece cajados de avelã gratuitamente. Actualmente, como é o meu caso, há peregrinos que usam dois bastões metálicos, parecidos com os usados para andar na neve; GUIA do caminho, se possível contendo a história do Caminho. PRIMEIROS SOCORROS Numa loja da especialidade ou uma qualquer farmácia pode adquirir um pequeno kit SOS onde se encontram as coisas básicas. Aspirinas, pomadas para feridas, compressas, band-aids, pensos de vários tamanhos, gaze e algodão, protector de lábios, etc. OBS: Com referência aos materiais a serem utilizados para a protecção dos pés contra a formação das bolhas, ou mesmo para colocar depois de se cuidar das mesmas, existe uma grande variedade, pessoalmente uso ou vaselina ou bálsamo chinês, ou ainda pomada nívea.
» «
 ESCOLHA DA ÉPOCA O Caminho Francês pode ser realizado durante quase todo o ano, entretanto a melhor época para percorrer é entre Maio e Outubro, alertando-se aos interessados que Julho e a primeira quinzena de Agosto devem ser evitados dadas as altas temperaturas do verão. Nessa época você poderá encontrar os albergues lotados e, em geral, os preços mais altos. No oposto, e dado que em Espanha as mais baixas temperaturas se registam em Janeiro e Fevereiro estes são meses a evitar, tanto mais que em vários locais do percurso surgem fortes chuvadas e quedas de neve que podem bloquear a passagem dos peregrinos, com maior relevo para a região dos Pirenéus, o que pode tornar a peregrinação uma experiência perigosa. Leve em conta o tipo de clima que você se adapta melhor, sem esquecer que nas suas costas se encontra uma mochila e que em princípio vai percorrer uma longa distancia e isso pode deixar marcas físicas. Efectuando uma comparação entre as diversas estações, temos: a Primavera (Abril, Maio e Junho), temperatura amena, há flores (papoilas, rosas e girassóis), os campos estão verdes, mas é claro que também aparecem algumas chuvadas. Do outro lado temos o Outono (Setembro, Outubro e Novembro), período de seca. É mais tranquilo para caminhar pois a chuva tem um componente psicológico que é muito corrosivo para qualquer ânimo dos peregrinos, porém os campos ficam amarelos e há muitas regiões com seca. No Inverno (Dezembro, Janeiro, Fevereiro e Março) o caminho muitas vezes está fechado, por assim dizer, a maioria dos albergues municipais fecham e também alguns privados, especialmente em localidades onde haja mais do que um albergue. As autoridades tudo fazem para evitar que os peregrinos corram perigo de vida. No Verão (Julho e Agosto) são os meses com mais horas de sol e menos rigores meteorológicos, mas existem desvantagens significativas: o calor e os estudantes (também conhecidos por turiperegrinos). O calor no Caminho de Santiago é algo que não se esquece e que sempre dá muita conversa em qualquer reunião. Os estudantes são pessoas simpáticas e aventureiras, mas em geral o seu objectivo é turístico, diferente dos objectivos religiosos/ecológicos/culturais/místicos dos peregrinos em geral. Nesta época há grande fluxo de peregrinos e em consequência aumenta a dificuldade em questões de conseguir uma cama nos albergues, mesmo sabendo que em alguns casos os albergues são reforçados com espaços cedidos como pavilhões desportivos. Com as novas tecnologias, a cada dia que passa podemos sempre socorrer-nos da internet para saber que tempo vai fazer na região onde vamos caminhar no dia seguinte, isto de forma a preparar a roupa adequada e mesmo o tipo de alimentação a ter de reserva. Perante o que aqui vos deixei escrito, não se esqueça: a decisão é sua! Nota: por curiosidade aqui estão as temperaturas médias nas diferentes épocas do ano: Inverno: temperatura máxima 16º C, mínima -4,5º C; Primavera: temperatura máxima 24º C, mínima 5º C; Verão: temperatura máxima 38º C, mínima 12º C; Outono: temperatura máxima 25º C, mínima 7º C. O QUE LEVAR É muito relativo informar o caminhante / peregrino o que deve ele levar, tal informação muitas vezes esbarra em problemas de cunho pessoal. Tenha em conta que há uma diferença entre aquilo que é o Caminho idealizado e aquele real e repleto de contratempos problemas físicos e outras coisas inesperadas. Tudo isto deve ser equacionado quando pensamos no equipamento a levar. Deve comprar equipamentos que existem nas lojas da especialidade e que são adequadas. Podem ser coisas caras? Correcto! Em certos casos sim, mas você não se vai arrepender depois. Deixo-lhe em seguida uma lista de artigos do que deve levar, mas atente que a mochila no seu todo deve levar em consideração a época do ano que vai fazer a caminhada. Evite excessos de carga!! Todo o equipamento referido pode ser reduzido na proporção do seu tempo de caminhada e na proporção do seu peso. Seja prudente. ROUPAS: Pouca roupa, não se esqueça do peso, a mesma deve acompanhar o clima predominante da época em que você decidiu caminhar/peregrinar. BERMUDA de tecido leve e cómodo para caminhada (uma ou duas dependendo da época da viagem); ROUPAS INTERIOR com elástico que não apertem demasiadamente (três peças); CAMISETAS DE MANGA CURTA, (três), na cor clara (não use branca), com as sucessivas lavagens, se for na cor branca pode apresentar sinais de uma má lavagem; CAMISETA DE MANGA COMPRIDA, (uma a duas – use pólos térmicos de preferência, são leves); CALÇA COMPRIDA de flanela, etc. (uma). Evite levar calça jeans, pois além de não ser confortável para caminhada, pesa muito e demora a secar; CALÇA COMPRIDA de material leve e lavável, táctil. Hoje em dia adopta-se o tipo de calça-bermuda, as referidas calça possuem um ziper acima do joelho o que permite transforma-la em bermuda rapidamente. MEIAS FINAS de algodão, sem costura, (três pares) para que você possa troca-las todos os dias: MEIAS GROSSAS, de algodão ou do tipo Coolmax, (três pares), fibras naturais são melhores que as sintéticas no que diz respeito à prevenção contra bolhas. Uma pratica usual em caminhadas de longa distância, é colocar duas meias em cada pé, reduzindo o atrito da pele com a bota. As meias finas de algodão usam-se em contacto com os pés e as grossas "atoalhadas" por cima, também deverão serem trocadas todos os dias; AGASALHO que pese pouco mas possa manter o corpo quente, principalmente durante a noite, nos lugares mais altos e frios; CHAPÉU, BONE, OU LENÇO para proteger-se do sol; LUVAS DE LÃ, para proteger as mãos no frio da manhã ou da noite e também proteger-se ao segurar o cajado; BANHO TOALHA DE BANHO pequena e com grande capacidade de absorção. Existem toalhas especiais para longas caminhadas que se adaptam a esta descrição. CHINELO de dedo para usar quando chegar no refúgio e no banho. MATERIAL PARA HIGIENE PESSOAL como escova de dentes, pasta de dente, sabonete, sabão para lavar roupa, (vestir roupas limpas ao terminar a jornada diária é tão agradável para o peregrino, quanto para aqueles que estão à sua volta), corta-unhas. Não esquecer de levar um rolo de papel higiénico, pode acontecer não encontrar no albergue e é muito útil para suas necessidades durante o Caminho. EQUIPAMENTOS E UTENSÍLIOS CANTIL, com capacidade de 1 litro, é um equipamento indispensável e de preferência de plástico. Existem cantis de alumínio, mas além de serem mais caros deixam um gosto ruim na água. O de plástico é mais leve e a água não adere gostos estranhos. Alguns peregrinos informaram terem substituído o mesmo por duas pequenas garrafas plásticas de 500 ml, mantendo uma dentro da mochila e a outra na pochete ou num local fácil de sacar. Para aqueles que transpiram demais, é aconselhável levar mais uma garrafa de plástico de 500 ml, nos trechos com fontes usa-se apenas a garrafa com água e as outras vazias no interior da mochila, nos trechos longos e com poucas fontes ou nenhuma, o peregrino manteria as garrafas cheias. SACO DE DORMIR, ou uma ESTEIRA - isolante térmico é usado para protecção contra frio e humidade se você dormir directamente no solo, no caso da não existência de camas nos albergues, ou então para fazer uma "siesta" durante o caminho, colocando-o sobre a relva em baixo de uma arvore. Para alguns é um equipamento opcional; ISQUEIRO; que pode ser eventualmente útil, mas cuidado, em vários trechos do Caminho existem campos e plantações de trigo onde um simples cigarro ou fogueira mal apagada pode causar enormes catástrofes; CANIVETE; Evite o ridículo de carregar aqueles canivetes Suíços com uma infinidade de laminas e apetrechos outros. O peregrino não precisa mais do que um canivete, com uma lamina que possa ser travada depois de aberta de forma a evitar algum acidente e mais uns dois acessórios - abridor de latas e um saca-rolhas. COLHER; uma que seja pequena, com a qual você possa comer qualquer coisa, desde arroz até iogurte, a mesma faz uma perfeita dobradinha com o canivete, dispensando completamente o garfo. LANTERNA; pequena, muito pequena mesmo; Quando a luz de seu quarto for apagada (as luzes apagam-se normalmente pelas 22h nos albergues públicos, e pelas 23h nos albergues privados) por algum peregrino, não é aconselhável acendê-la novamente. Quem apagou deve estar cansado e o descanso é sagrado no Caminho. Ao REGRESSAR de um passeio nocturno, aquela lanterna com pilhas do tipo palito, pode representar o único meio de você encontrar novamente a sua cama, ou no meio da noite uma necessidade de ir ao WC. ÓCULOS ESCUROS; que consideramos opcional mas aconselhável, pois você caminha na direcção do pôr do sol o que dificulta bastante a visão durante a tarde. SACOS PLÁSTICOS; para protecção da carga contra chuva e colocação do lixo; RELOGIO; prático e desportivo, mas grande parte dos caminhantes não usam relógio. POCHETE; para a colocação do dinheiro, passaporte, credencial e outras utilidades; MOLAS DE ROUPA, uns seis para colocar a roupa a secar, inclusive na própria mochila enquanto você for andando, o mesmo pode ser substituído por alfinete de segurança dos usados para fralda de bebés; CONCHA DE PEREGRINO; conhecida em Espanha como "Vieira", símbolo que identifica os peregrinos de todo o mundo. BLOCO DE APONTAMENTOS; esta é uma grande experiência em sua vida. Depois da viagem, a cada ano que passa fica mais emocionante ler e recordar o que foi anotado, não esquecer da caneta. MAQUINA FOTOGRÁFICA; de preferência leve, não se esquecer de levar chips ou rolos extras, pois poderá ter o desprazer de seu filme ter acabado, e você ficar sem poder tirar aquela foto que julgou importante. CAJADO; (ou os BASTÕES METÁLICOS) não é um elemento decorativo, ajuda a caminhar pelos terrenos irregulares, contribuem para manter o ritmo da caminhada. Nos bosques encontra-se com facilidade uma boa vara de carvalho ou pinho. Em Azqueta (Navarra), o popular Pablito oferece cajados de avelã gratuitamente. Actualmente, como é o meu caso, há peregrinos que usam dois bastões metálicos, parecidos com os usados para andar na neve; GUIA do caminho, se possível contendo a história do Caminho. PRIMEIROS SOCORROS Numa loja da especialidade ou uma qualquer farmácia pode adquirir um pequeno kit SOS onde se encontram as coisas básicas. Aspirinas, pomadas para feridas, compressas, band-aids, pensos de vários tamanhos, gaze e algodão, protector de lábios, etc. OBS: Com referência aos materiais a serem utilizados para a protecção dos pés contra a formação das bolhas, ou mesmo para colocar depois de se cuidar das mesmas, existe uma grande variedade, pessoalmente uso ou vaselina ou bálsamo chinês, ou ainda pomada nívea.
» «
 ESCOLHA DA ÉPOCA O Caminho Francês pode ser realizado durante quase todo o ano, entretanto a melhor época para percorrer é entre Maio e Outubro, alertando-se aos interessados que Julho e a primeira quinzena de Agosto devem ser evitados dadas as altas temperaturas do verão. Nessa época você poderá encontrar os albergues lotados e, em geral, os preços mais altos. No oposto, e dado que em Espanha as mais baixas temperaturas se registam em Janeiro e Fevereiro estes são meses a evitar, tanto mais que em vários locais do percurso surgem fortes chuvadas e quedas de neve que podem bloquear a passagem dos peregrinos, com maior relevo para a região dos Pirenéus, o que pode tornar a peregrinação uma experiência perigosa. Leve em conta o tipo de clima que você se adapta melhor, sem esquecer que nas suas costas se encontra uma mochila e que em princípio vai percorrer uma longa distancia e isso pode deixar marcas físicas. Efectuando uma comparação entre as diversas estações, temos: a Primavera (Abril, Maio e Junho), temperatura amena, há flores (papoilas, rosas e girassóis), os campos estão verdes, mas é claro que também aparecem algumas chuvadas. Do outro lado temos o Outono (Setembro, Outubro e Novembro), período de seca. É mais tranquilo para caminhar pois a chuva tem um componente psicológico que é muito corrosivo para qualquer ânimo dos peregrinos, porém os campos ficam amarelos e há muitas regiões com seca. No Inverno (Dezembro, Janeiro, Fevereiro e Março) o caminho muitas vezes está fechado, por assim dizer, a maioria dos albergues municipais fecham e também alguns privados, especialmente em localidades onde haja mais do que um albergue. As autoridades tudo fazem para evitar que os peregrinos corram perigo de vida. No Verão (Julho e Agosto) são os meses com mais horas de sol e menos rigores meteorológicos, mas existem desvantagens significativas: o calor e os estudantes (também conhecidos por turiperegrinos). O calor no Caminho de Santiago é algo que não se esquece e que sempre dá muita conversa em qualquer reunião. Os estudantes são pessoas simpáticas e aventureiras, mas em geral o seu objectivo é turístico, diferente dos objectivos religiosos/ecológicos/culturais/místicos dos peregrinos em geral. Nesta época há grande fluxo de peregrinos e em consequência aumenta a dificuldade em questões de conseguir uma cama nos albergues, mesmo sabendo que em alguns casos os albergues são reforçados com espaços cedidos como pavilhões desportivos. Com as novas tecnologias, a cada dia que passa podemos sempre socorrer-nos da internet para saber que tempo vai fazer na região onde vamos caminhar no dia seguinte, isto de forma a preparar a roupa adequada e mesmo o tipo de alimentação a ter de reserva. Perante o que aqui vos deixei escrito, não se esqueça: a decisão é sua! Nota: por curiosidade aqui estão as temperaturas médias nas diferentes épocas do ano: Inverno: temperatura máxima 16º C, mínima -4,5º C; Primavera: temperatura máxima 24º C, mínima 5º C; Verão: temperatura máxima 38º C, mínima 12º C; Outono: temperatura máxima 25º C, mínima 7º C. O QUE LEVAR É muito relativo informar o caminhante / peregrino o que deve ele levar, tal informação muitas vezes esbarra em problemas de cunho pessoal. Tenha em conta que há uma diferença entre aquilo que é o Caminho idealizado e aquele real e repleto de contratempos problemas físicos e outras coisas inesperadas. Tudo isto deve ser equacionado quando pensamos no equipamento a levar. Deve comprar equipamentos que existem nas lojas da especialidade e que são adequadas. Podem ser coisas caras? Correcto! Em certos casos sim, mas você não se vai arrepender depois. Deixo-lhe em seguida uma lista de artigos do que deve levar, mas atente que a mochila no seu todo deve levar em consideração a época do ano que vai fazer a caminhada. Evite excessos de carga!! Todo o equipamento referido pode ser reduzido na proporção do seu tempo de caminhada e na proporção do seu peso. Seja prudente. ROUPAS: Pouca roupa, não se esqueça do peso, a mesma deve acompanhar o clima predominante da época em que você decidiu caminhar/peregrinar. BERMUDA de tecido leve e cómodo para caminhada (uma ou duas dependendo da época da viagem); ROUPAS INTERIOR com elástico que não apertem demasiadamente (três peças); CAMISETAS DE MANGA CURTA, (três), na cor clara (não use branca), com as sucessivas lavagens, se for na cor branca pode apresentar sinais de uma má lavagem; CAMISETA DE MANGA COMPRIDA, (uma a duas – use pólos térmicos de preferência, são leves); CALÇA COMPRIDA de flanela, etc. (uma). Evite levar calça jeans, pois além de não ser confortável para caminhada, pesa muito e demora a secar; CALÇA COMPRIDA de material leve e lavável, táctil. Hoje em dia adopta-se o tipo de calça-bermuda, as referidas calça possuem um ziper acima do joelho o que permite transforma-la em bermuda rapidamente. MEIAS FINAS de algodão, sem costura, (três pares) para que você possa troca-las todos os dias: MEIAS GROSSAS, de algodão ou do tipo Coolmax, (três pares), fibras naturais são melhores que as sintéticas no que diz respeito à prevenção contra bolhas. Uma pratica usual em caminhadas de longa distância, é colocar duas meias em cada pé, reduzindo o atrito da pele com a bota. As meias finas de algodão usam-se em contacto com os pés e as grossas "atoalhadas" por cima, também deverão serem trocadas todos os dias; AGASALHO que pese pouco mas possa manter o corpo quente, principalmente durante a noite, nos lugares mais altos e frios; CHAPÉU, BONE, OU LENÇO para proteger-se do sol; LUVAS DE LÃ, para proteger as mãos no frio da manhã ou da noite e também proteger-se ao segurar o cajado; BANHO TOALHA DE BANHO pequena e com grande capacidade de absorção. Existem toalhas especiais para longas caminhadas que se adaptam a esta descrição. CHINELO de dedo para usar quando chegar no refúgio e no banho. MATERIAL PARA HIGIENE PESSOAL como escova de dentes, pasta de dente, sabonete, sabão para lavar roupa, (vestir roupas limpas ao terminar a jornada diária é tão agradável para o peregrino, quanto para aqueles que estão à sua volta), corta-unhas. Não esquecer de levar um rolo de papel higiénico, pode acontecer não encontrar no albergue e é muito útil para suas necessidades durante o Caminho. EQUIPAMENTOS E UTENSÍLIOS CANTIL, com capacidade de 1 litro, é um equipamento indispensável e de preferência de plástico. Existem cantis de alumínio, mas além de serem mais caros deixam um gosto ruim na água. O de plástico é mais leve e a água não adere gostos estranhos. Alguns peregrinos informaram terem substituído o mesmo por duas pequenas garrafas plásticas de 500 ml, mantendo uma dentro da mochila e a outra na pochete ou num local fácil de sacar. Para aqueles que transpiram demais, é aconselhável levar mais uma garrafa de plástico de 500 ml, nos trechos com fontes usa-se apenas a garrafa com água e as outras vazias no interior da mochila, nos trechos longos e com poucas fontes ou nenhuma, o peregrino manteria as garrafas cheias. SACO DE DORMIR, ou uma ESTEIRA - isolante térmico é usado para protecção contra frio e humidade se você dormir directamente no solo, no caso da não existência de camas nos albergues, ou então para fazer uma "siesta" durante o caminho, colocando-o sobre a relva em baixo de uma arvore. Para alguns é um equipamento opcional; ISQUEIRO; que pode ser eventualmente útil, mas cuidado, em vários trechos do Caminho existem campos e plantações de trigo onde um simples cigarro ou fogueira mal apagada pode causar enormes catástrofes; CANIVETE; Evite o ridículo de carregar aqueles canivetes Suíços com uma infinidade de laminas e apetrechos outros. O peregrino não precisa mais do que um canivete, com uma lamina que possa ser travada depois de aberta de forma a evitar algum acidente e mais uns dois acessórios - abridor de latas e um saca-rolhas. COLHER; uma que seja pequena, com a qual você possa comer qualquer coisa, desde arroz até iogurte, a mesma faz uma perfeita dobradinha com o canivete, dispensando completamente o garfo. LANTERNA; pequena, muito pequena mesmo; Quando a luz de seu quarto for apagada (as luzes apagam-se normalmente pelas 22h nos albergues públicos, e pelas 23h nos albergues privados) por algum peregrino, não é aconselhável acendê-la novamente. Quem apagou deve estar cansado e o descanso é sagrado no Caminho. Ao REGRESSAR de um passeio nocturno, aquela lanterna com pilhas do tipo palito, pode representar o único meio de você encontrar novamente a sua cama, ou no meio da noite uma necessidade de ir ao WC. ÓCULOS ESCUROS; que consideramos opcional mas aconselhável, pois você caminha na direcção do pôr do sol o que dificulta bastante a visão durante a tarde. SACOS PLÁSTICOS; para protecção da carga contra chuva e colocação do lixo; RELOGIO; prático e desportivo, mas grande parte dos caminhantes não usam relógio. POCHETE; para a colocação do dinheiro, passaporte, credencial e outras utilidades; MOLAS DE ROUPA, uns seis para colocar a roupa a secar, inclusive na própria mochila enquanto você for andando, o mesmo pode ser substituído por alfinete de segurança dos usados para fralda de bebés; CONCHA DE PEREGRINO; conhecida em Espanha como "Vieira", símbolo que identifica os peregrinos de todo o mundo. BLOCO DE APONTAMENTOS; esta é uma grande experiência em sua vida. Depois da viagem, a cada ano que passa fica mais emocionante ler e recordar o que foi anotado, não esquecer da caneta. MAQUINA FOTOGRÁFICA; de preferência leve, não se esquecer de levar chips ou rolos extras, pois poderá ter o desprazer de seu filme ter acabado, e você ficar sem poder tirar aquela foto que julgou importante. CAJADO; (ou os BASTÕES METÁLICOS) não é um elemento decorativo, ajuda a caminhar pelos terrenos irregulares, contribuem para manter o ritmo da caminhada. Nos bosques encontra-se com facilidade uma boa vara de carvalho ou pinho. Em Azqueta (Navarra), o popular Pablito oferece cajados de avelã gratuitamente. Actualmente, como é o meu caso, há peregrinos que usam dois bastões metálicos, parecidos com os usados para andar na neve; GUIA do caminho, se possível contendo a história do Caminho. PRIMEIROS SOCORROS Numa loja da especialidade ou uma qualquer farmácia pode adquirir um pequeno kit SOS onde se encontram as coisas básicas. Aspirinas, pomadas para feridas, compressas, band-aids, pensos de vários tamanhos, gaze e algodão, protector de lábios, etc. OBS: Com referência aos materiais a serem utilizados para a protecção dos pés contra a formação das bolhas, ou mesmo para colocar depois de se cuidar das mesmas, existe uma grande variedade, pessoalmente uso ou vaselina ou bálsamo chinês, ou ainda pomada nívea.
» «
 ESCOLHA DA ÉPOCA O Caminho Francês pode ser realizado durante quase todo o ano, entretanto a melhor época para percorrer é entre Maio e Outubro, alertando-se aos interessados que Julho e a primeira quinzena de Agosto devem ser evitados dadas as altas temperaturas do verão. Nessa época você poderá encontrar os albergues lotados e, em geral, os preços mais altos. No oposto, e dado que em Espanha as mais baixas temperaturas se registam em Janeiro e Fevereiro estes são meses a evitar, tanto mais que em vários locais do percurso surgem fortes chuvadas e quedas de neve que podem bloquear a passagem dos peregrinos, com maior relevo para a região dos Pirenéus, o que pode tornar a peregrinação uma experiência perigosa. Leve em conta o tipo de clima que você se adapta melhor, sem esquecer que nas suas costas se encontra uma mochila e que em princípio vai percorrer uma longa distancia e isso pode deixar marcas físicas. Efectuando uma comparação entre as diversas estações, temos: a Primavera (Abril, Maio e Junho), temperatura amena, há flores (papoilas, rosas e girassóis), os campos estão verdes, mas é claro que também aparecem algumas chuvadas. Do outro lado temos o Outono (Setembro, Outubro e Novembro), período de seca. É mais tranquilo para caminhar pois a chuva tem um componente psicológico que é muito corrosivo para qualquer ânimo dos peregrinos, porém os campos ficam amarelos e há muitas regiões com seca. No Inverno (Dezembro, Janeiro, Fevereiro e Março) o caminho muitas vezes está fechado, por assim dizer, a maioria dos albergues municipais fecham e também alguns privados, especialmente em localidades onde haja mais do que um albergue. As autoridades tudo fazem para evitar que os peregrinos corram perigo de vida. No Verão (Julho e Agosto) são os meses com mais horas de sol e menos rigores meteorológicos, mas existem desvantagens significativas: o calor e os estudantes (também conhecidos por turiperegrinos). O calor no Caminho de Santiago é algo que não se esquece e que sempre dá muita conversa em qualquer reunião. Os estudantes são pessoas simpáticas e aventureiras, mas em geral o seu objectivo é turístico, diferente dos objectivos religiosos/ecológicos/culturais/místicos dos peregrinos em geral. Nesta época há grande fluxo de peregrinos e em consequência aumenta a dificuldade em questões de conseguir uma cama nos albergues, mesmo sabendo que em alguns casos os albergues são reforçados com espaços cedidos como pavilhões desportivos. Com as novas tecnologias, a cada dia que passa podemos sempre socorrer-nos da internet para saber que tempo vai fazer na região onde vamos caminhar no dia seguinte, isto de forma a preparar a roupa adequada e mesmo o tipo de alimentação a ter de reserva. Perante o que aqui vos deixei escrito, não se esqueça: a decisão é sua! Nota: por curiosidade aqui estão as temperaturas médias nas diferentes épocas do ano: Inverno: temperatura máxima 16º C, mínima -4,5º C; Primavera: temperatura máxima 24º C, mínima 5º C; Verão: temperatura máxima 38º C, mínima 12º C; Outono: temperatura máxima 25º C, mínima 7º C. O QUE LEVAR É muito relativo informar o caminhante / peregrino o que deve ele levar, tal informação muitas vezes esbarra em problemas de cunho pessoal. Tenha em conta que há uma diferença entre aquilo que é o Caminho idealizado e aquele real e repleto de contratempos problemas físicos e outras coisas inesperadas. Tudo isto deve ser equacionado quando pensamos no equipamento a levar. Deve comprar equipamentos que existem nas lojas da especialidade e que são adequadas. Podem ser coisas caras? Correcto! Em certos casos sim, mas você não se vai arrepender depois. Deixo-lhe em seguida uma lista de artigos do que deve levar, mas atente que a mochila no seu todo deve levar em consideração a época do ano que vai fazer a caminhada. Evite excessos de carga!! Todo o equipamento referido pode ser reduzido na proporção do seu tempo de caminhada e na proporção do seu peso. Seja prudente. ROUPAS: Pouca roupa, não se esqueça do peso, a mesma deve acompanhar o clima predominante da época em que você decidiu caminhar/peregrinar. BERMUDA de tecido leve e cómodo para caminhada (uma ou duas dependendo da época da viagem); ROUPAS INTERIOR com elástico que não apertem demasiadamente (três peças); CAMISETAS DE MANGA CURTA, (três), na cor clara (não use branca), com as sucessivas lavagens, se for na cor branca pode apresentar sinais de uma má lavagem; CAMISETA DE MANGA COMPRIDA, (uma a duas – use pólos térmicos de preferência, são leves); CALÇA COMPRIDA de flanela, etc. (uma). Evite levar calça jeans, pois além de não ser confortável para caminhada, pesa muito e demora a secar; CALÇA COMPRIDA de material leve e lavável, táctil. Hoje em dia adopta-se o tipo de calça-bermuda, as referidas calça possuem um ziper acima do joelho o que permite transforma-la em bermuda rapidamente. MEIAS FINAS de algodão, sem costura, (três pares) para que você possa troca-las todos os dias: MEIAS GROSSAS, de algodão ou do tipo Coolmax, (três pares), fibras naturais são melhores que as sintéticas no que diz respeito à prevenção contra bolhas. Uma pratica usual em caminhadas de longa distância, é colocar duas meias em cada pé, reduzindo o atrito da pele com a bota. As meias finas de algodão usam-se em contacto com os pés e as grossas "atoalhadas" por cima, também deverão serem trocadas todos os dias; AGASALHO que pese pouco mas possa manter o corpo quente, principalmente durante a noite, nos lugares mais altos e frios; CHAPÉU, BONE, OU LENÇO para proteger-se do sol; LUVAS DE LÃ, para proteger as mãos no frio da manhã ou da noite e também proteger-se ao segurar o cajado; BANHO TOALHA DE BANHO pequena e com grande capacidade de absorção. Existem toalhas especiais para longas caminhadas que se adaptam a esta descrição. CHINELO de dedo para usar quando chegar no refúgio e no banho. MATERIAL PARA HIGIENE PESSOAL como escova de dentes, pasta de dente, sabonete, sabão para lavar roupa, (vestir roupas limpas ao terminar a jornada diária é tão agradável para o peregrino, quanto para aqueles que estão à sua volta), corta-unhas. Não esquecer de levar um rolo de papel higiénico, pode acontecer não encontrar no albergue e é muito útil para suas necessidades durante o Caminho. EQUIPAMENTOS E UTENSÍLIOS CANTIL, com capacidade de 1 litro, é um equipamento indispensável e de preferência de plástico. Existem cantis de alumínio, mas além de serem mais caros deixam um gosto ruim na água. O de plástico é mais leve e a água não adere gostos estranhos. Alguns peregrinos informaram terem substituído o mesmo por duas pequenas garrafas plásticas de 500 ml, mantendo uma dentro da mochila e a outra na pochete ou num local fácil de sacar. Para aqueles que transpiram demais, é aconselhável levar mais uma garrafa de plástico de 500 ml, nos trechos com fontes usa-se apenas a garrafa com água e as outras vazias no interior da mochila, nos trechos longos e com poucas fontes ou nenhuma, o peregrino manteria as garrafas cheias. SACO DE DORMIR, ou uma ESTEIRA - isolante térmico é usado para protecção contra frio e humidade se você dormir directamente no solo, no caso da não existência de camas nos albergues, ou então para fazer uma "siesta" durante o caminho, colocando-o sobre a relva em baixo de uma arvore. Para alguns é um equipamento opcional; ISQUEIRO; que pode ser eventualmente útil, mas cuidado, em vários trechos do Caminho existem campos e plantações de trigo onde um simples cigarro ou fogueira mal apagada pode causar enormes catástrofes; CANIVETE; Evite o ridículo de carregar aqueles canivetes Suíços com uma infinidade de laminas e apetrechos outros. O peregrino não precisa mais do que um canivete, com uma lamina que possa ser travada depois de aberta de forma a evitar algum acidente e mais uns dois acessórios - abridor de latas e um saca-rolhas. COLHER; uma que seja pequena, com a qual você possa comer qualquer coisa, desde arroz até iogurte, a mesma faz uma perfeita dobradinha com o canivete, dispensando completamente o garfo. LANTERNA; pequena, muito pequena mesmo; Quando a luz de seu quarto for apagada (as luzes apagam-se normalmente pelas 22h nos albergues públicos, e pelas 23h nos albergues privados) por algum peregrino, não é aconselhável acendê-la novamente. Quem apagou deve estar cansado e o descanso é sagrado no Caminho. Ao REGRESSAR de um passeio nocturno, aquela lanterna com pilhas do tipo palito, pode representar o único meio de você encontrar novamente a sua cama, ou no meio da noite uma necessidade de ir ao WC. ÓCULOS ESCUROS; que consideramos opcional mas aconselhável, pois você caminha na direcção do pôr do sol o que dificulta bastante a visão durante a tarde. SACOS PLÁSTICOS; para protecção da carga contra chuva e colocação do lixo; RELOGIO; prático e desportivo, mas grande parte dos caminhantes não usam relógio. POCHETE; para a colocação do dinheiro, passaporte, credencial e outras utilidades; MOLAS DE ROUPA, uns seis para colocar a roupa a secar, inclusive na própria mochila enquanto você for andando, o mesmo pode ser substituído por alfinete de segurança dos usados para fralda de bebés; CONCHA DE PEREGRINO; conhecida em Espanha como "Vieira", símbolo que identifica os peregrinos de todo o mundo. BLOCO DE APONTAMENTOS; esta é uma grande experiência em sua vida. Depois da viagem, a cada ano que passa fica mais emocionante ler e recordar o que foi anotado, não esquecer da caneta. MAQUINA FOTOGRÁFICA; de preferência leve, não se esquecer de levar chips ou rolos extras, pois poderá ter o desprazer de seu filme ter acabado, e você ficar sem poder tirar aquela foto que julgou importante. CAJADO; (ou os BASTÕES METÁLICOS) não é um elemento decorativo, ajuda a caminhar pelos terrenos irregulares, contribuem para manter o ritmo da caminhada. Nos bosques encontra-se com facilidade uma boa vara de carvalho ou pinho. Em Azqueta (Navarra), o popular Pablito oferece cajados de avelã gratuitamente. Actualmente, como é o meu caso, há peregrinos que usam dois bastões metálicos, parecidos com os usados para andar na neve; GUIA do caminho, se possível contendo a história do Caminho. PRIMEIROS SOCORROS Numa loja da especialidade ou uma qualquer farmácia pode adquirir um pequeno kit SOS onde se encontram as coisas básicas. Aspirinas, pomadas para feridas, compressas, band-aids, pensos de vários tamanhos, gaze e algodão, protector de lábios, etc. OBS: Com referência aos materiais a serem utilizados para a protecção dos pés contra a formação das bolhas, ou mesmo para colocar depois de se cuidar das mesmas, existe uma grande variedade, pessoalmente uso ou vaselina ou bálsamo chinês, ou ainda pomada nívea.
» «
 ESCOLHA DA ÉPOCA O Caminho Francês pode ser realizado durante quase todo o ano, entretanto a melhor época para percorrer é entre Maio e Outubro, alertando-se aos interessados que Julho e a primeira quinzena de Agosto devem ser evitados dadas as altas temperaturas do verão. Nessa época você poderá encontrar os albergues lotados e, em geral, os preços mais altos. No oposto, e dado que em Espanha as mais baixas temperaturas se registam em Janeiro e Fevereiro estes são meses a evitar, tanto mais que em vários locais do percurso surgem fortes chuvadas e quedas de neve que podem bloquear a passagem dos peregrinos, com maior relevo para a região dos Pirenéus, o que pode tornar a peregrinação uma experiência perigosa. Leve em conta o tipo de clima que você se adapta melhor, sem esquecer que nas suas costas se encontra uma mochila e que em princípio vai percorrer uma longa distancia e isso pode deixar marcas físicas. Efectuando uma comparação entre as diversas estações, temos: a Primavera (Abril, Maio e Junho), temperatura amena, há flores (papoilas, rosas e girassóis), os campos estão verdes, mas é claro que também aparecem algumas chuvadas. Do outro lado temos o Outono (Setembro, Outubro e Novembro), período de seca. É mais tranquilo para caminhar pois a chuva tem um componente psicológico que é muito corrosivo para qualquer ânimo dos peregrinos, porém os campos ficam amarelos e há muitas regiões com seca. No Inverno (Dezembro, Janeiro, Fevereiro e Março) o caminho muitas vezes está fechado, por assim dizer, a maioria dos albergues municipais fecham e também alguns privados, especialmente em localidades onde haja mais do que um albergue. As autoridades tudo fazem para evitar que os peregrinos corram perigo de vida. No Verão (Julho e Agosto) são os meses com mais horas de sol e menos rigores meteorológicos, mas existem desvantagens significativas: o calor e os estudantes (também conhecidos por turiperegrinos). O calor no Caminho de Santiago é algo que não se esquece e que sempre dá muita conversa em qualquer reunião. Os estudantes são pessoas simpáticas e aventureiras, mas em geral o seu objectivo é turístico, diferente dos objectivos religiosos/ecológicos/culturais/místicos dos peregrinos em geral. Nesta época há grande fluxo de peregrinos e em consequência aumenta a dificuldade em questões de conseguir uma cama nos albergues, mesmo sabendo que em alguns casos os albergues são reforçados com espaços cedidos como pavilhões desportivos. Com as novas tecnologias, a cada dia que passa podemos sempre socorrer-nos da internet para saber que tempo vai fazer na região onde vamos caminhar no dia seguinte, isto de forma a preparar a roupa adequada e mesmo o tipo de alimentação a ter de reserva. Perante o que aqui vos deixei escrito, não se esqueça: a decisão é sua! Nota: por curiosidade aqui estão as temperaturas médias nas diferentes épocas do ano: Inverno: temperatura máxima 16º C, mínima -4,5º C; Primavera: temperatura máxima 24º C, mínima 5º C; Verão: temperatura máxima 38º C, mínima 12º C; Outono: temperatura máxima 25º C, mínima 7º C. O QUE LEVAR É muito relativo informar o caminhante / peregrino o que deve ele levar, tal informação muitas vezes esbarra em problemas de cunho pessoal. Tenha em conta que há uma diferença entre aquilo que é o Caminho idealizado e aquele real e repleto de contratempos problemas físicos e outras coisas inesperadas. Tudo isto deve ser equacionado quando pensamos no equipamento a levar. Deve comprar equipamentos que existem nas lojas da especialidade e que são adequadas. Podem ser coisas caras? Correcto! Em certos casos sim, mas você não se vai arrepender depois. Deixo-lhe em seguida uma lista de artigos do que deve levar, mas atente que a mochila no seu todo deve levar em consideração a época do ano que vai fazer a caminhada. Evite excessos de carga!! Todo o equipamento referido pode ser reduzido na proporção do seu tempo de caminhada e na proporção do seu peso. Seja prudente. ROUPAS: Pouca roupa, não se esqueça do peso, a mesma deve acompanhar o clima predominante da época em que você decidiu caminhar/peregrinar. BERMUDA de tecido leve e cómodo para caminhada (uma ou duas dependendo da época da viagem); ROUPAS INTERIOR com elástico que não apertem demasiadamente (três peças); CAMISETAS DE MANGA CURTA, (três), na cor clara (não use branca), com as sucessivas lavagens, se for na cor branca pode apresentar sinais de uma má lavagem; CAMISETA DE MANGA COMPRIDA, (uma a duas – use pólos térmicos de preferência, são leves); CALÇA COMPRIDA de flanela, etc. (uma). Evite levar calça jeans, pois além de não ser confortável para caminhada, pesa muito e demora a secar; CALÇA COMPRIDA de material leve e lavável, táctil. Hoje em dia adopta-se o tipo de calça-bermuda, as referidas calça possuem um ziper acima do joelho o que permite transforma-la em bermuda rapidamente. MEIAS FINAS de algodão, sem costura, (três pares) para que você possa troca-las todos os dias: MEIAS GROSSAS, de algodão ou do tipo Coolmax, (três pares), fibras naturais são melhores que as sintéticas no que diz respeito à prevenção contra bolhas. Uma pratica usual em caminhadas de longa distância, é colocar duas meias em cada pé, reduzindo o atrito da pele com a bota. As meias finas de algodão usam-se em contacto com os pés e as grossas "atoalhadas" por cima, também deverão serem trocadas todos os dias; AGASALHO que pese pouco mas possa manter o corpo quente, principalmente durante a noite, nos lugares mais altos e frios; CHAPÉU, BONE, OU LENÇO para proteger-se do sol; LUVAS DE LÃ, para proteger as mãos no frio da manhã ou da noite e também proteger-se ao segurar o cajado; BANHO TOALHA DE BANHO pequena e com grande capacidade de absorção. Existem toalhas especiais para longas caminhadas que se adaptam a esta descrição. CHINELO de dedo para usar quando chegar no refúgio e no banho. MATERIAL PARA HIGIENE PESSOAL como escova de dentes, pasta de dente, sabonete, sabão para lavar roupa, (vestir roupas limpas ao terminar a jornada diária é tão agradável para o peregrino, quanto para aqueles que estão à sua volta), corta-unhas. Não esquecer de levar um rolo de papel higiénico, pode acontecer não encontrar no albergue e é muito útil para suas necessidades durante o Caminho. EQUIPAMENTOS E UTENSÍLIOS CANTIL, com capacidade de 1 litro, é um equipamento indispensável e de preferência de plástico. Existem cantis de alumínio, mas além de serem mais caros deixam um gosto ruim na água. O de plástico é mais leve e a água não adere gostos estranhos. Alguns peregrinos informaram terem substituído o mesmo por duas pequenas garrafas plásticas de 500 ml, mantendo uma dentro da mochila e a outra na pochete ou num local fácil de sacar. Para aqueles que transpiram demais, é aconselhável levar mais uma garrafa de plástico de 500 ml, nos trechos com fontes usa-se apenas a garrafa com água e as outras vazias no interior da mochila, nos trechos longos e com poucas fontes ou nenhuma, o peregrino manteria as garrafas cheias. SACO DE DORMIR, ou uma ESTEIRA - isolante térmico é usado para protecção contra frio e humidade se você dormir directamente no solo, no caso da não existência de camas nos albergues, ou então para fazer uma "siesta" durante o caminho, colocando-o sobre a relva em baixo de uma arvore. Para alguns é um equipamento opcional; ISQUEIRO; que pode ser eventualmente útil, mas cuidado, em vários trechos do Caminho existem campos e plantações de trigo onde um simples cigarro ou fogueira mal apagada pode causar enormes catástrofes; CANIVETE; Evite o ridículo de carregar aqueles canivetes Suíços com uma infinidade de laminas e apetrechos outros. O peregrino não precisa mais do que um canivete, com uma lamina que possa ser travada depois de aberta de forma a evitar algum acidente e mais uns dois acessórios - abridor de latas e um saca-rolhas. COLHER; uma que seja pequena, com a qual você possa comer qualquer coisa, desde arroz até iogurte, a mesma faz uma perfeita dobradinha com o canivete, dispensando completamente o garfo. LANTERNA; pequena, muito pequena mesmo; Quando a luz de seu quarto for apagada (as luzes apagam-se normalmente pelas 22h nos albergues públicos, e pelas 23h nos albergues privados) por algum peregrino, não é aconselhável acendê-la novamente. Quem apagou deve estar cansado e o descanso é sagrado no Caminho. Ao REGRESSAR de um passeio nocturno, aquela lanterna com pilhas do tipo palito, pode representar o único meio de você encontrar novamente a sua cama, ou no meio da noite uma necessidade de ir ao WC. ÓCULOS ESCUROS; que consideramos opcional mas aconselhável, pois você caminha na direcção do pôr do sol o que dificulta bastante a visão durante a tarde. SACOS PLÁSTICOS; para protecção da carga contra chuva e colocação do lixo; RELOGIO; prático e desportivo, mas grande parte dos caminhantes não usam relógio. POCHETE; para a colocação do dinheiro, passaporte, credencial e outras utilidades; MOLAS DE ROUPA, uns seis para colocar a roupa a secar, inclusive na própria mochila enquanto você for andando, o mesmo pode ser substituído por alfinete de segurança dos usados para fralda de bebés; CONCHA DE PEREGRINO; conhecida em Espanha como "Vieira", símbolo que identifica os peregrinos de todo o mundo. BLOCO DE APONTAMENTOS; esta é uma grande experiência em sua vida. Depois da viagem, a cada ano que passa fica mais emocionante ler e recordar o que foi anotado, não esquecer da caneta. MAQUINA FOTOGRÁFICA; de preferência leve, não se esquecer de levar chips ou rolos extras, pois poderá ter o desprazer de seu filme ter acabado, e você ficar sem poder tirar aquela foto que julgou importante. CAJADO; (ou os BASTÕES METÁLICOS) não é um elemento decorativo, ajuda a caminhar pelos terrenos irregulares, contribuem para manter o ritmo da caminhada. Nos bosques encontra-se com facilidade uma boa vara de carvalho ou pinho. Em Azqueta (Navarra), o popular Pablito oferece cajados de avelã gratuitamente. Actualmente, como é o meu caso, há peregrinos que usam dois bastões metálicos, parecidos com os usados para andar na neve; GUIA do caminho, se possível contendo a história do Caminho. PRIMEIROS SOCORROS Numa loja da especialidade ou uma qualquer farmácia pode adquirir um pequeno kit SOS onde se encontram as coisas básicas. Aspirinas, pomadas para feridas, compressas, band-aids, pensos de vários tamanhos, gaze e algodão, protector de lábios, etc. OBS: Com referência aos materiais a serem utilizados para a protecção dos pés contra a formação das bolhas, ou mesmo para colocar depois de se cuidar das mesmas, existe uma grande variedade, pessoalmente uso ou vaselina ou bálsamo chinês, ou ainda pomada nívea.
» «